Rio De Prêmios 10 anos, esse dá pra ganhar

Novo conceito, nova comunicação e novidades no produto trouxeram crescimento acima da expectativa para o Rio de Prêmios nos seus dez anos.

Ambiente.

A crise do país e em particular do Rio de Janeiro dificultou a venda, que no começo de março, no sorteio pós-carnaval, atingiu pouco mais de 285.000 bilhetes. A distribuição pulverizada e extremamente rápida e competente deixa o produto exposto nos mais de 3.800 pontos de venda, principalmente bancas de jornal espalhadas por todo o Estado do Rio de Janeiro.

O Rio de Prêmios tem forte presença em todo o estado.

Em 2017, a partir de Abril, a Onzevinteum passou a cuidar da comunicação offline do Rio de Prêmios, um produto Loterj, operado pela Hebara, empresa contratada pela Autarquia através de licitação pública.

A mudança na comunicação.

A mudança na comunicação foi total, o conceito de sonhos realizados, de esperança, o emocional, junto com personagens que representam os consumidores, pessoas com planos, sonhos, famílias para cuidar, pessoas de verdade, que acordam cedo para ganhar seu dinheiro honesta e humildemente. São famílias que sonham com a alegria de um prêmio para realizar sonhos, para mudar de vida ou apenas melhorar sua condição.

E o Rio de Prêmios tem diferenciais relevantes que corroboram isso:

–       1. Os prêmios não acumulam – toda semana tem ganhadores.

–       2. Só sai para o Rio de Janeiro – as chances de ganhar aumentam.

–       3. Toda semana tem sorteio com muitos ganhadores.

A mudança na comunicação foi completa, dos bilhetes ao cartaz de PDV e os filmes para TV, anúncios, spots de rádio, todas as peças ganharam um novo conceito além da nova linguagem popular / emocional.

O conceito traduz os diferenciais do Rio de Prêmios e as chances maiores de ganhar um prêmio:

Rio de Prêmios, esse dá pra ganhar.

Além dos personagens representando o consumidor, algumas peças tem a presença de um ganhador real falando o conceito no final, “esse dá pra ganhar”.

Os cartazes passaram a trazer a mensagem do sonho realizado e da esperança de uma vida melhor, os bilhetes ganharam nova roupagem e até o programa de TV aberta do domingo de manhã, quando os sorteios são transmitidos ao vivo na Record TV, ganhou novo cenário, nova tecnologia e uma produção ainda mais dinâmica, a cargo da produtora Allternativa X, que também produz os comerciais de TV.

Os apresentadores do programa, Viviane Romanelli, Carlos Alberto Vasconcellos e Aline Malafaia, que tem forte identificação com o programa e com o produto, e que eram os personagens também da campanha de TV e de ponto de venda, ficaram presentes apenas no programa e em algumas peças de mídia exterior, um forte investimento da marca, principalmente nos modais de transporte popular do Rio de Janeiro, como Supervia, Barcas, Ônibus, BRT e Metrô.

A estratégia de mídia.

A estratégia de mídia adotada pelo Rio de Prêmios se manteve praticamente inalterada no começo, explorando pontos de contato bem populares, como a TV aberta, a mídia exterior, principalmente nos modais de transporte de grande fluxo como estação Madureira da Supervia, Central do Brasil, Teroni – em Niterói – Barcas, BRT, etc. Painéis, roletas, adesivos de porta, peças variadas de grande visibilidade passaram a mostrar o conceito “Rio de Prêmios, esse dá pra ganhar”. Os filmes, com o novo conceito nas versões de 30” e 15”, se espalharam pelos canais abertos de TV. O programa passou a usar o conceito todos os domingos também.

Pontos de venda.

Uma importante mudança na distribuição foi vital para o crescimento nos resultados de venda do produto: a venda em todas as 92 lojas da Casa & Video, com campanha de comunicação forte anunciando este novo PDV.

A campanha.

Os comerciais, que antes eram focados nos apresentadores do programa, se voltaram mais para mostrar pessoas identificadas com o consumidor, seus sonhos e de sua família.

Os primeiros filmes mostravam sempre o mesmo consumidor, um homem trabalhador, de classe C, simpático, sonhador e que renovava sua esperança no RDP toda semana. Foram quatro filmes de 30” e quatro de 15” que imediatamente deram nova vida à comunicação do produto, a partir de Abril de 2017.

O personagem Zé, como era chamado, mostrou sua casa, sua mãe, sua mulher, comemorou o aniversário do produto, sempre representando o consumidor e seus sonhos, a esperança.

Depois veio a manicure, o porteiro, a cozinheira e sua família. A campanha no PDV e em mídia exterior e impressa complementam a comunicação mais “quente” e próxima ao consumidor.

Resultados.

Em 2017 o produto, apesar da crise, experimentou expressivo crescimento de vendas e de visibilidade da campanha com o novo conceito “Esse dá pra ganhar”

Ao todo, foram vendidos no ano 22.005.095 bilhetes, com um total de faturamento da ordem de R$ 137 MM, um crescimento de cerca de 8% em relação ao ano anterior.

Quando a nova campanha entrou no ar, a venda pós-carnaval tinha atingido o patamar de 285.000 bilhetes e fechou o ano com mais de 514 mil bilhetes vendidos.

A venda no primeiro trimestre, antes da nova comunicação começar, foi de 4.893.735 bilhetes, uma média de 1.631.245 bilhetes vendidos por mês.

Já no segundo trimestre, as vendas cresceram para o patamar de 5.289.372 bilhetes, com média de 1.763.124 bilhetes vendidos por mês entre abril e junho de 2017. Um aumento quase imediato nas vendas.

O crescimento continuado de vendas fez com que o produto pudesse dar prêmios maiores nos bilhetes especiais, alguns chegando a meio milhão e um milhão de Reais no prêmio máximo.

No trimestre seguinte, de julho a setembro,  as vendas continuaram a crescer, totalizando 5.686.594 bilhetes vendidos com média de 1.895.531 por mês.

No último trimestre, depois de seis meses da nova campanha no ar, a venda atingiu o seu ápice no ano, com 6.135.394 bilhetes, com média de 2.045.131 bilhetes vendidos por mês, um aumento de mais de 413 mil bilhetes vendidos no último trimestre em relação ao primeiro.

E para coroar um ano de crescimento continuado e efetivo, o último sorteio do ano, realizado no dia 31/12/17, atingiu mais de 514 mil bilhetes vendidos, um recorde que não era batido desde dezembro de 2015.

Agora em 2018 a comunicação entra em um novo patamar e estilo, com a campanha de verão e a Casadinha Turbinada, que criou mais uma novidade no produto, além da concentração em comerciais de 15”, gerando ainda mais frequência na mídia eletrônica e uma linguagem mais direta para mudar o estilo e surpreender o consumidor.

Pelo jeito vem mais crescimento por aí.